Categorias
Mundo

Dicas básicas para uma condução segura que todos devem saber

Ninguém admite ser um péssimo motorista, mas todos nós, em um momento ou outro, tentamos ser multitarefas enquanto dirigimos no volante na estrada.

A maioria de nós também já percorreu longas viagens de carro nem sempre estando dentro da lei ou do esperado.

Portanto, para ajudar a melhorar a segurança de você, seu passageiro e outros usuários da estrada, além de que veja no site como funciona o Detran PE e como elaboramos uma lista abrangente de dicas de condução segura para ter em mente na próxima vez que você decidir dirigir.

Vamos começar!

Dicas básicas para uma condução segura que todos devem saber

1. Realizar controles de segurança simples

Dicas básicas para uma condução segura que todos devem saber

Comece inspecionando os faróis de seu veículo e a seta, certifique-se de que os faróis dianteiros e traseiros estejam funcionando corretamente e visíveis a uns poucos metros de distância.

Faça uma leitura da pressão de seus pneus e certifique-se de manter o máximo recomendado, o que pode ser lido diretamente no site sobre automóvel e impostos. Enquanto isso, dê uma olhada sob seu veículo e certifique-se de que não haja objetos soltos ou vazamentos.

2. Ajuste todos os espelhos e assentos antes de colocar a chave na ignição

Não acenda o veículo assim que entrar no carro, tome um momento para verificar se os espelhos retrovisores e seu assento estão em posição.

Se algum dos espelhos precisar de ajustes, simplesmente coloque sua cabeça sobre o vidro do motorista e ajuste o espelho esquerdo até que a extremidade esquerda do carro fique visível.

Você sabia que o Detran de Pernambuco passará a aceitar PIX como forma de pagamento dos impostos? Clique aqui e saiba mais.

Para ajustar o espelho direito, incline sua cabeça para o centro do veículo e ajuste o espelho para obter uma melhor visão do lado direito do carro.

Ao retornar à sua posição natural de sentado, você não verá nenhuma das extremidades do veículo, mas seus ângulos mortos serão reduzidos.

3. Não use seu dispositivo móvel

Parece óbvio, no entanto você ficaria surpreso com a quantidade que nós que não conseguimos manter nossos telefones celulares à distância enquanto dirigimos.

E os motoristas que usam um telefone celular têm quatro vezes mais probabilidade de bater com o veículo. Quer comprar um veículo com valor reduzido? Veja aqui mais sobre os leilões no estado de Pernambuco.

Os dispositivos móveis são uma das maiores distrações para os motoristas porque exigem atenção total: manuais, visuais e cognitivos, fazendo com que você tire suas mãos do volante, seus olhos da estrada e sua mente da estrada.

Se você for um passageiro em um veículo em movimento operado por um motorista distraído, você precisa intervir, pois eles estão colocando os ocupantes do veículo em risco.

4. Pratique a direção defensiva

A direção defensiva é um conjunto de habilidades de direção que o ajuda a antecipar os maiores riscos e perigos potenciais.

Se você olhar muito à frente, concentrar sua atenção na estrada e manter seus olhos afiados, você facilmente identificará perigos potenciais.

Uma vez que você tenha detectado um perigo em potencial e decidido o que fazer, aja imediatamente. Lembre-se de efetuar o pagamento dos impostos dentro do site do Banco do Brasil clicando aqui.

Aqui estão algumas dicas de direção defensiva:

  • Dirija a uma velocidade controlável.
  • Assuma que você conheça a intenção de outro motorista.
  • Esteja preparado para reagir a outros motoristas.
  • Tenha cuidado nos cruzamentos, mesmo que você tenha direito de passagem.
  • Mantenha-se concentrado na estrada e remova todas as distrações, como o uso do telefone celular, bebês sem cintos, etc.
Categorias
Mundo

O desinteresse dos jovens por ter carro próprio preocupa os fabricantes em todo mundo

Começou a ser detectada no Japão e agora é uma tendência global. Os jovens têm cada vez menos interesse em adquirir um carro próprio e isso representa um novo desafio para a indústria do automóvel, que trata de ensaiar novas fórmulas de negócio, como os veículos compartilhados, ou os modelos elétricos, mais atraentes, a priori, para uma geração que, com a bicicleta e o transporte público, vê-se satisfeitas suas necessidades de mobilidade.Um estudo apresentado ontem pela empresa de consultoria KPMG corrobora essa tendência. “Que vai mais”, explica Francisco Roger, sócio responsável do sector automóvel em Portugal.

No Brasil a situação não é diferente – inclusive, é ainda mais dramática. As montadoras perceberam os baixos índices de consumo e com a recessão econômica é cada vez menor o índice de pessoas que estão aptas a fazer um financiamento para adquirir o próprio veículo. Além do mais basta dar uma rápida consulta nas principais páginas do Detran como no detranpe2020.com.br para aferir a alta taxação que vai além do financiamento em si: DPVAT, IPVA, Licenciamento, Seguro…. essas são só algumas das taxas que fazem ter um carro muito caro no Brasil. No mundo, os alarmes são os mesmos, mesmo tendo uma taxação inferior ao gigante verde e amarelo.

O estudo se baseia em uma pesquisa com 200 altos executivos do setor, tanto os fabricantes e fornecedores. E uma das conclusões é que a maioria (46%) considera que os menores de 25 anos não têm necessidade de serem proprietários de um veículo. Outro percentual importante (54%) pensa que também diminui o interesse por ter um carro próprio entre os maiores de 50 anos.

Nos Estados Unidos foram já os valores a tendência: apenas 27% dos carros novos vendidos em 2012 foram adquiridos por crianças com menos de 34 anos. Porque, para a chamada geração do milênio (nascidos entre 1982 e 1995) o automóvel já não é um ícone de liberdade. é muito mais a conectividade com a internet e as redes sociais.

Na Europa, há muito tempo já que se vendem muito mais bicicletas do que carros. Em particular, em Portugal foram vendidos 780.000 bicicletas em 2012. frente a 700.000 carros novos.O desenvolvimento de veículos elétricos, que não poluem, é outra das vias com que os fabricantes esperam contrariar o crescente distanciamento dos mais jovens.

Com tudo, os gestores do setor consideram que a produção automobilística mundial vai continuar com um importante crescimento, impulsionada pela demanda dos países emergentes, em particular China. De acordo com Roger, estima-se que, em 2025, a produção mundial alcançou 120 milhões de unidades por ano, número que representa um aumento superior a 50% em relação aos volumes atuais. Mas quase a metade das unidades adicionais que serão produzidas serão os chamados BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), onde o automóvel ainda é um desejo inatingível para a maioria da população.